domingo, 7 de março de 2010

Milho cozido

Hoje estive na cozinha com a minha mãe a aprender a cozer milho! Acho que cá na Madeira, a maior parte das crianças já deve ter comido milho cozido "regado" com leite e açúcar ou com nozinhas de manteiga que depois se espalha conforme  esta derrete sobre o milho. Devia ser uma maneira das nossas mães nos "enganarem" para comermos o milho :) Hoje em dia já me parece uma combinação meio estranha e prefiro comer milho como "os adultos".


Ingredientes:
1 kg de farinha milho branco ou amarelo
água q.b.
1/2 dúzia de folhas de couve portuguesa/galega ("couve de todos os dias", como era chamada por cá)
2 dentes de alho grandes
1 raminho de segurelha
2 colheres (sopa) de óleo (usámos óleo de soja)
1 colher (sobremesa) rasa de manteiga (usámos margarina Becel)
1 colher (sobremesa) de sal
500 gr de favas (opcional)
torresmos q.b. (opcional)

Preparação:
Leva-se ao lume cerca de 2 litros de água e o óleo numa panela grande.
Entretanto, picar a couve em caldo-verde e picar o alho grosseiramente.


Antes de água ferver, enquanto ainda não está demasiado quente, junta-se a couve, o alho e as folhinhas de segurelha (sem a haste), e ir adicionando a farinha de milho aos poucos enquanto se mexe continuamente com uma colher de pau grande.


Ir adicionando mais água quente conforme necessário até obter a consistência certa, mexendo sempre bem de modo a desfazer todos os grumos.


Adicionar o sal e a manteiga (e as favas/torresmos*, se for o caso), deixar levantar fervura, baixar o lume e deixar cozer durante cerca de 1 hora, mexendo bem de vez em quando.
Quando o milho estiver cozido, volta-se a mexer muito bem uma última vez, deita-se em pratos rasos e serve-se a acompanhar cavalas com molho vilão ou bifes de atum; ou até mesmo com uma açorda, depois de frio e cortado em cubos.

 

O milho que não se deitar nos pratos, é deitado de imediato (para que não endureça na panela) em travessas e colocado no frigorífico depois de frio, sendo posteriormente cortado em cubos para comer assim frio ou para fritar.


*Nota: se adicionar torresmos, lembre-se que estes podem ser muito salgados. Assim, prove o milho quente antes de deitar sal, de modo a que não fique salgado.

3 comentários:

shoppseeing disse...

Yeah, descobri! Tinha falhado este post.

Emilia disse...

Bela receita tradicional, muito detalhada e bem ilustrada.
Agradeço!

Mike Freitas disse...

Uma das variantes da receita original, mas também muito boa. Carne de vinho e alhos acompanha muito bem este prato. Parabéns pelo blogg