domingo, 28 de fevereiro de 2010

Dicas § cobrir bolos

De modo a manter limpa a superfície do prato onde vamos servir o bolo, podemos colocar tiras de papel sob o bolo, as quais tiramos facilmente quando acabarmos de o cobrir ;)

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Pão de sementes

E mal a máquina chegou, já me aventurei a fazer o meu primeiro pão! Decidi começar com algo bem básico, pois já li na blogosfera que muitos "padeiros" acabam por deitar fora os primeiros pães que fazem na MFP porque não ficam bons. Então, joguei pelo seguro e comprei farinha própria para a MFP, já com os ingredientes todos misturados. Como a minha intenção nunca foi fazer pão branco, optei por uma farinha para fabrico de pão de sementes, da marca Continente. Et voilà! Eis o meu primeiro pão! E que lindo e saboroso que ele ficou logo da primeira vez :)


Ingredientes: (p/ 1 pão com cerca de 750 gr)
300 ml de água fria
2 colheres (sopa) de óleo (usei de soja)
500 gr de farinha para fabrico de pão de sementes do Continente

Preparação:
Untar a pá com um pouco de óleo para que seja mais fácil de retirar quando o pão estiver pronto. Colocar os ingredientes na cuba da máquina pela ordem apresentada. Regular a máquina para o programa 1 (normal), nível I (para pão até 750 gr), tostagem média.
Depois de terminado o programa, retirar de imediato o pão da máquina.
Deixar o pão arrecefer um pouco e desenformar.
Pensei que ia ficar com um enorme buraco na base do pão devido à pá, mas acho que tive sorte de principiante pois a pá saíu que foi uma beleza!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

A minha MFP

Finalmente tenho a minha máquina de fazer pão :)
Já andava a falar disto há algum tempo e então foi a prenda dos papás pelo meu aniversário. Como a escolha da MFP ficava a meu critério, andei primeiro a pesquisar um pouco pela blogosfera, a ler a opinião de quem já tinha experiência com estas máquinas. Também consultei o artigo da DECO PROTESTE sobre estes electrodomésticos e acabei por reduzir a minha lista à TEFAL OW 200130 e à BBA 2605 CLATRONIC. Quando já tinha decidido optar pela Tefal, vi a Clatronic em promoção na Worten e aproveitei!
E agora, toca a fazer pão! :-)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Bolo de natas para o meu aniversário :)

Com tudo o que se passou nos últimos dias cá na ilha, ainda não estou muito no espírito para grandes comemorações, por isso este ano apenas vou reunir a família mais chegada lá em casa.
Escolhi este bolo de natas sem ovos para variar um pouco dos últimos dois que foram à base de chocolate. É uma receita que está num dos antigos cadernos de receitas da minha Mãe; apenas menciona os ingredientes e népias quanto ao modo de preparação, nem quanto tempo leva a cozer nem nada disso. Mas já tinha feito este bolo há mais de 10 anos e tinha deixado lá uma nota de que fica óptimo! E então foi assim que eu fiz:


Ingredientes:
1 chávena de natas (usei natas light, com 22% de M.G.)
2 chávenas de açúcar
3 chávenas de farinha de trigo
½ pacote de soda (deitei 1 colher de sobremesa rasa)
2 colheres (sopa) de mel
½ litro de leite (usei magro)
Raspa de 1 limão

Para a cobertura:
200 gr de açúcar em pó
1 colher (sopa) de xarope de groselha
umas gotas de sumo de limão
1 clara de ovo

Preparação:
Misturei o açúcar com as natas e juntei o mel. Depois fui adicionando a farinha misturada com o bicarbonato de sódio, alternando com o leite. Bati tudo muito bem e no fim deitei a raspa do limão.
Deitei esta massa numa forma untada com manteiga e polvilhada com farinha e levei a forno quente (180ºC) durante cerca de 45 minutos.


Depois do bolo estar frio e desenformado, faz-se o glacé misturando, numa tigela, o açúcar em pó com umas gotas de sumo de limão, a groselha e a clara de ovo. Bate-se até engrossar ligeiramente e cobre-se o bolo com este preparado. Polvilhei com granulado colorido para terminar a decoração e deixei a cobertura secar. Assim que possa coloco as fotos!

Notas: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.
Não convém cobrir o bolo enquanto este ainda está quente/morno pois será mais difícil para o glacé começar a solidificar.

Fonte: a receita da cobertura foi tirada da revista Teleculinária nº 892.

Adenda: fotos colocadas como prometido! :)

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Bolo mármore para o aniversário do Pai

Pois é, Fevereiro é o mês dos aniversários por excelência na minha família (só o meu irmão é que "resolveu" nascer em Outubro) e já cá canta mais um! Este é um bolo que já faço há muitos anos e que desta vez resolvi fazer para o aniversário do meu Pai, que ontem comemorou mais um ano de vida. A inovação foi a cobertura, que nunca tinha feito (não sei se já mencionei aqui mas cobrir bolos nunca foi o meu forte...) e que ficou com a consistência perfeita! :)


Ingredientes:
250 gr de margarina (usei Becel)
300 gr de açúcar
4 ovos
500 gr de farinha de trigo
3 dl de leite (usei magro)
100 gr de nozes (não deitei)
1/2 chávena de chocolate em pó
2 colheres (chá) de fermento em pó

Cobertura de chocolate:
1 tablete de chocolate para culinária
1 pacote de natas (usei light, com 22% de M.G.)

Preparação:
Bata bem a manteiga com o açúcar. Junte as gemas e bata até obter um creme claro. Junte a farinha peneirada com o fermento, alternando com o leite. Acrescente as nozes e misture sem bater e, de seguida, as claras batidas em castelo, mas delicadamente.
Divida a massa em duas partes. Junte a uma das partes o chocolate em pó (costumo fazer 1/4 da massa de chocolate e deixar 3/4 branca). Unte com manteiga uma forma de bolo grande e polvilhe com farinha. Com uma colher, coloque as massas, alternando-as (se quiser, pode fazer movimentos circulares com um garfo para marmorizar, mas não deverá ser necessário).
Meta em forno pré-aquecido a uns 180ºC, durante cerca de 40 minutos.


Para fazer a cobertura, leve as natas e a tablete de chocolate partida aos bocadinhos a lume brando até derreter o chocolate por completo. Barre o bolo com este creme (enquanto o creme ainda está quente).


Termine a decoração a gosto. Desta vez, optei por espalhar amêndoa picada sobre a cobertura de chocolate.

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Frango indiano em cama de arroz basmati

Inspirado num jantar em casa de um amigo (o Nuno), o jeitoso resolveu fazer um prato indiano para o jantar. O leite de coco usado foi da marca Koala, que segundo o Mukesh - um colega nosso indiano e óptimo cozinheiro - é um dos melhores. À receita do Nuno, foram adicionados mais alguns condimentos, tais como umas misturas de especiarias indianas que o Mukesh enviou-nos de Londres e que contêm malaguetas, paprika, cardamomo, canela, noz-moscada, cominhos, açafrão e tomilho entre outros. O resultado final? Sabor inconfundivelmente indiano...


Ingredientes: (p/ 3 pessoas)
1/2 frango sem pele e cortado em pedaços bem pequenos
1 cebola
400 ml de leite de coco
sal
mistura de especiarias indiana
1 pitada de gengibre raspado na altura
azeite

Preparação:
Corte a cebola em rodelas finas e refogue-a em azeite. Quando estiver a ficar transparente, adicione os pedaços de frango e tempere com um pouco dos condimentos. Deixe o frango ganhar um pouco de cor e em seguida tape o tacho de modo a que a carne possa cozer. Entretanto, deite o leite de coco numa tacinha e, com a ajuda de um batedor de ovos, misture muito bem com mais um pouco da mistura de especiarias indiana e o gengibre.
Quando a carne já estiver quase cozida, adicione o leite de coco. Deixe apurar e sirva sobre arroz basmati, cobrindo com o próprio molho.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Malassadas

Malassadas são uns bolinhos fritos que se comem cá na Madeira tipicamente na altura do Carnaval e esta é a receita da minha mãe - este ano coube-me a mim fazê-las. São mais massudas do que os sonhos e comem-se com mel de cana-de-açúcar. Um must por esta altura, para miúdos e graúdos! Mas se antigamente a massa era feita à mão, batendo-a com força até que ficasse uma massa leve, as gerações mais novas já são mais comodistas e agora faz-se uso da batedeira ;)
Nas arrumações do último Natal, encontrei um robot de cozinha dos meus pais, com uns de 30 anos, daqueles que têm batedeira, liquidificadora, moinho de carne, etc (devia ser a Bimby dos anos 80!). Lembro-me da minha mãe usá-lo quando era criança mas creio que estava confinado a um canto do armário já há uns 20 anos. Então resolvi tirar-lhe o pó e ver se ainda funciona e esta massa foi a prova de fogo - e passou!


Ingredientes:
1 kg de farinha de trigo
fermento de padeiro p/ 1 kg de farinha (cerca de 50 gr)
8 ovos
água q.b.
1 pitada de sal
óleo q.b. (usei óleo de soja)
 
Preparação:
Deitar a farinha numa bacia/alguidar grande, abrir um espaço no meio da farinha e colocar lá o fermento. Adicionar um pouco de água morna e ir desfazendo o fermento com os dedos enquanto se vai já misturando com a farinha.* Adicionar os ovos um a um e bater bem a massa.


Juntar o sal e mais água se necessário. A massa fica pronta quando está bem leve e a formar umas bolhas grandes.**
Cobrir a bacia com cobertores*** e deixar a massa a levedar durante  pelo menos 1 hora (quanto mais tempo a massa levedar, mais vai render e mais leve vai ficar).


Pega-se então em colheradas de massa que vão se deitando em óleo a ferver. A quantidade de massa varia conforme o tamanho que quiser que as malassadas tenham - nós fizemo-las mais pequenas, por exemplo.


Servir com mel de cana-de-açúcar.

*como usei a batedeira, coloquei o fermento já na taça da batedeira e adicionei um pouco de água enquanto o desfazia com os dedos. Em seguida, adicionei farinha aos poucos, até que a massa se soltasse dos dedos. A partir daqui, fui mexendo com uma colher de pau.
**a massa feita na batedeira não chega a fazer bolhas tão grandes como quando é amassada à mão.
***aqui, passei a massa da taça da batedeira para uma bacia grande,  caso contrário a massa iria transbordar ao levedar

Dica: se quiser, pode substituir a água por leite ou por chá de erva-doce.
Nunca tinhamos usado óleo de soja para fritar as malassadas mas a verdade é que elas ficam bem menos enjoativas com este óleo (e o meu estômago, pouco tolerante a fritos, nem piou!).


A preciosidade:

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Dicas § tipos de açúcar

Encontrei este site da RAR onde expõem os diferentes tipos de açúcar da marca. Clicando sobre a imagem de cada tipo de açúcar, obtemos as características de cada um - útil quando não sabemos muito bem a diferença entre um tipo de açúcar e outro, e se podemos ou não substituir um açúcar por outro numa determinada receita ;-)

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Açorda madeirense

Esta açorda típica cá da ilha foi eleita para o jantar de hoje, especialmente por estar chuva e frio, para ajudar a aquecer :-) 


Ingredientes: (p/ 4 pessoas)
2 colheres de sopa de azeite
3 dentes de alho
4 ovos
um ramo de segurelha
sal q.b.
pimenta a gosto
água q.b.
pão (carcaça) de um ou dois dias

Preparação:
Põe-se água fria com o azeite num tacho. Junta-se o alho fatiado e deixa-se ferver. Faz-se um molhinho com a segurelha e adiciona-se à açorda. Deixa-se ficar assim um pouco em lume médio, para tomar o gosto da segurelha e depois parte-se os ovos lá para dentro e deita-se no tacho, deixando ferver por mais 5 a 7 minutos. Retira-se o raminho de segurelha antes de servir.
Parte-se o pão aos bocados com a mão e cobre-se o fundo do prato, rega-se com a açorda e distribui-se um ovo por cada prato.
Em vez do pão, também pode cobrir o fundo do prato com milho cozido cortado em cubos.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Sonhos cor-de-rosa

E chegámos a mais uma época de gulodices: o Carnaval! Por cá, os sonhos são mais típicos do Carnaval do que propriamente do Natal, e esta é uma variante da receita tradicional de sonhos, dada por uma amiga da minha Mãe. A receita não rende muitos sonhos e, embora estes fiquem bem fofinhos, continuo a preferir os sonhos tradicionais. Mas vale a pena experimentar ;)


Ingredientes:
1 e 1/2 chávena de farinha de trigo
1 chávena de leite
2 colheres (sopa) de fermento em pó
2 colheres (sopa) de manteiga (usei margarina Becel)
1 pitada de sal
raspa de 1 limão
2 colheres (sopa) de açúcar
3 ovos
óleo q.b. (usei de soja)

Preparação:
Leva-se ao lume o leite misturado com a raspa de limão, o açúcar e a manteiga. Assim que o leite ferver, retirar do lume e juntar  logo de seguida a farinha mexendo muito bem.


Deixar a massa arrefecer e adicionar os ovos um a um, mexendo sempre bem e até a massa começar a formar "bolhas".
Com a ajuda de duas colheres de sopa, deitar pequenas porções de massa em óleo a ferver.
Servir com mel de cana-de-açúcar.

~~ Bom Carnaval! ~~

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Sopa de lentilhas

Depois de ter "descoberto" as lentilhas vermelhas assim e assim, resolvi experimentar as verdes! Encontrei esta receita (que aparentemente é tradicional da Madeira) e, embora não seja grande fã destas sopas "de entulho", resolvi experimentar. Foi a primeira vez que fiz uma sopa do género e confesso que o resultado foi muito bom! É uma sopa óptima para estes dias mais frios que teimam em não ir embora.


Ingredientes:
200 gr de lentilhas
350 gr de carne de vaca com osso (comprei da mendinha)
300 gr de abóbora
1 cenoura (não está na lista de ingredientes mas é mencionado no modo de preparação)
200 gr de batatas
5 dentes de alho
2 cebolas
50 gr de macarronete
sal q.b.
3 l de água (usei cerca de metade)

Preparação:
De véspera demolhe as lentilhas em água fria.
Coloque uma panela ao lume com a água temperada de sal, as cebolas picadas, a carne e as lentilhas. Deixe cozinhar por 1 hora.
Passado o tempo junte a cenoura, a abóbora e as batatas, tudo cortado em cubos e deixe ferver.
Decorridos 20 minutos, esmague um pouco a abóbora e as batatas com um esmagador de batatas e, de seguida, adicione o macarronete. Deixe ferver por mais 10 minutos.
Rectifique os temperos e sirva.

Comprei carne da mendinha especialmente para este fim, por ser uma carne com osso e alguma gordura que, como o meu pai diz, vai dar gosto à comida. Mas obviamente que mal cheguei a casa e vi aquela gordura toda decidi que ia ter que tirar uma parte daquilo senão lá iam disparar os meus níveis de colesterol. E tira uma coisinha daqui e limpa uma coisinha dali... e acabei por só deixar ficar uns ossinhos e umas réstias de gordura aqui e ali. Até pode não ter ficado com tanto sabor, mas acho que o meu organismo agradece!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Ratatouille

Uma das melhores invenções da cozinha francesa deve ser mesmo o ratatouille! Há uns anos atrás, quando me mudei para França, lembro de ter visto umas latas com uma mistura de legumes, pronta a consumir, à venda no supermercado. Uma vez experimentei trazer uma para casa e aquilo não me pareceu nada mau. Vi que ingredientes levava e aos poucos comecei a fazer o meu próprio ratatouille em casa com legumes frescos :)


Ingredientes: (p/ 2-3 doses)
1 courgette
1 beringela
1 cebola grande
1/2 pimentão vermelho
cogumelos frescos
1 dente de alho grande
1 lata de tomate pelado ou polpa de tomate q.b.
sal q.b.
primenta preta moída na altura q.b
herbes-de-Provence q.b.

Preparação:
Lave os legumes todos. Corte a courgette e a beringela em 4 no sentido do comprimento e depois vá cortando em fatias não muito finas. Proceda do mesmo modo com a cenoura. Corte o pimentão em tiras e pique a cebola e o alho finamente. Corte os cogumelos às fatias. Deite tudo para dentro de um tacho com água suficiente para que os legumes cozam mas sem cobrir. Se usar o tomate pelado, corte-o grosseiramente lá para dentro. Tempere de sal e deixe cozer. Quando os legumes já estiverem cozidos, adicione o sumo de tomate que estava na lata ou então a polpa de tomate (no caso de ter optado por esta). Rectifique os temperos.

Usei a combinação de ingredientes que mais me agrada no ratatouille mas outros legumes podem ser adicionados a gosto, como a cenoura, bróculos, etc. O que este prato tem de tão fantástico é o facto de poder ser consumido de inúmeras maneiras: como opção vegetariana (sobre massa cozida e polvilhado com queijo); com peixe (antes de adicionar a polpa de tomate, adicione filetes de pescada cortados em tiras - acompanhe com cuscus); e até mesmo como acompanhamento em pratos de carne.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Bifes de peru com cerveja e mostarda

Uma das razões pelas quais gosto de carne de peru é pela simplicidade com que a podemos cozinhar. Encontrei esta receita muito fácil de fazer e igualmente saborosa; e aproveitei ainda para gastar uns cogumelos que tinha no frigorífico. 


Ingredientes:
1/2 kg bife peru
2 dentes de alho
1 dl cerveja
1 colher (sopa) de mostarda
margarina Becel
sal q.b.
pimenta moída na latura q.b.

Preparação:
Fazer uma marinada 2 horas antes com os bifinhos cortados às tiras grossas, alhos fatiados, cerveja, mostarda e temperar com sal e pimenta.
No momento de servir, escorrer a carne, colocá-la numa frigideira com a margarina e deixar fritar juntamnente com os cogumelos lavados e fatiados. Quando estiver quase frita, pôr parte do líquido da marinada e deixar apurar.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Dhal de lentilhas vermelhas

Sobraram-me lentilhas do creme de lentilhas vermelhas e aindei à procura de outras "aplicações" para as ditas cujas. Encontrei este prato vegetariano indiano e nem pensei duas vezes! (até porque já tenho saudade de comida indiana... ai, aquele delicioso lamb saag que comia em Londres... uhmm...). E mal proveitei este dhal, só me veio à mente como calhava bem ter um pão naan para acompanhar!...

Ingredientes:
300 gr lentilhas vermelhas, bem enxaguadas
1 courgette
gengibre fresco de 3cm, cortado
2 folhas da louro
1 pau de canela
2 colheres de manteiga (40g)
1 cebola, finamente desbastada
2 dentes de alho
2 colherzinhas de turmeric
2 colherzinhas pó do cominhos
2 colherzinhas de garam masala (pó de caril)
sumo de 1 limão
sal

Preparação:
Coloque as lentilhas e a courgette, gengibre, as folhas de louro e a canela numa grande panela com 3 copos da água fria.
Traga à fervura, reduza o calor ao meio e deixe cozer, agitando durante 15 minutos. Remova as especiarias e deixe aparte.
Aqueça a manteiga numa frigideira grande sobre um calor médio.
Adicione a cebola e cozinhe-a por 8 minutos. Junte o alho, o turmeric, o pó do cominhos, o garam marsala e cozinhe por outros 10 minutos.
Adicione as lentilhas a esta segunda panela e misture.
Descole do calor e junte o sumo de limão e sal.
Permita que o dhal sente por alguns minutos (ou horas se possível) para que os sabores de misturem.
Enfeite com coentros antes de servir.

Pode servir o dhal assim, como uma sopa, ou então pode servi-lo sobre arroz. Acompanhe com pão naan quentinho.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Ovos mexidos com farelo de trigo

Cozinhar só para 1 pessoa por vezes é tarefa ingrata. Não dá certamente tanto prazer quanto preparar uma refeição que vamos partilhar com alguém. Numa dessas ocasiões (em que me ponho a olhar para o dentro do frigorífico de alto a baixo sem saber o que vou fazer) lembrei-me que tinha visto esta receita e justamente quando resolvi fazê-la fiquei sem internet em casa. Lembrava-me dos ingredientes, mas não do modo de fazer, por isso fui adicionando os ingredientes na frigideira em vez de os envolver bem primeiro - mas ficou bom na mesma! Aproveitei que ainda tinha 2 salsichas vegetarianas e também adicionei-as. Et voilà, uma refeição desenrascada!


Ingredientes:
1 ovo (usei 1 gema + 2 claras)
2 dedos de água só para facilitar o desmanche da gema (não deitei)
1 colher (sopa) de farelo de trigo (deitei 2)
ervas-de-Provence, pimenta preta moída na altura e sal q.b. (facultativo)
margarina becel
2 salsichas vegetarianas (facultativo)

Preparação:
Bata o ovo com um garfo (se o desejar, adicione a água e continue a bater). Acrescente os condimentos a gosto e o farelo de trigo. Misture bem. Derreta a margarina numa frigideira e verta o preparado (adicione as salsichas cortadas às rodelas, se assim o desejar). Com uma colher de pau, vá fazendo movimentos circulares na frigideira, empurrando a mistura para as beiradas. Faça movimentos suaves e lentos, quanto mais você circula, mais as beiradas ficam grossas e secas.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Bolo de mistura para o aniversário da Mãe

Decidir fazer um bolo de aniversário em cima da hora pode dar nisto: não ter os ingredientes necessários ou em quantidade suficiente em casa!  Foi o que me aconteceu ontem quando resolvi que este ano iria fazer o bolo para o aniversário da minha Mãe, em vez de o comprarmos já feito. Receitas não me faltavam; faltava sim um ingrediente daqui ou outro dali em cada receita. Acabei por recorrer a esta que foi dada por uma tia da minha Mãe, a tia Virgínia, pois dá um bolo grande e resulta sempre bem. Ainda tive que fazer uma mistura de farinhas porque não tinha quantidade suficiente de um só tipo de farinha, mas este bolo o que tem é que é mesmo fácil de fazer! Como o próprio nome indica, é só deitar tudo para dentro da taça, misturar bem e está pronto para ir ao forno. Nem precisei de usar a batedeira. Aliás, já o fizemos tanto com chocolate como com canela e ambos ficam muito bons :)
Depois foi só encontrar uma cobertura de chocolate e levantar-me um pouco mais cedo esta manhã para fazê-la e deixar o bolo já prontinho antes de sair de casa... certo? Errado. A cobertura não ficou espessa como a da foto, nem mesmo adicionando um pouco de maisena. Mas o que não tem remédio, remediado está! Deitei só um pouco da "cobertura" sobre o bolo com muito cuidado e o que sobrou foi servido como uma calda quente na altura de partir o bolo ;)
Ficou um mimo e a Mãe gostou!


Ingredientes:
1 chávena de leite (usei magro)
400 gr de açúcar
1 chávena de óleo (usei óleo de soja)
400 gr de farinha de trigo (usei metade da branca e metade da integral)
3 ovos
1/2 colher (chá) de soda
1/2 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (sopa) de chocolate em pó (pode ser substituído por canela)

Cobertura/calda de chocolate:
1 chávena de açúcar
3/4 chávena de chocolate em pó
2 colheres (sopa) de margarina (usei Becel)
2 chávenas de leite (usei magro)

Preparação:
Mistura-se bem todos os ingredientes e deita-se a massa numa forma untada com margarina e polvilhada com farinha. Vai a forno quente (180ºC) durante cerca de 45 minutos. Com um palito, verifica-se se está cozido e desenforma-se com cuidado depois de arrefecer um pouco.


A cobertura/calda foi feita levando todos os ingredientes a lume baixo por 20 minutos, mexendo sempre até engrossar (só ficou um pouco mais espessa depois de acrescentar um pouco de maisena mas mesmo assim não foi o suficiente). Deitei-a sobre o bolo e polvilhei com amêndoa picada que havia em casa. Depois foi só colocar umas flores de açúcar para terminar a decoração.

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Pescada com creme de marisco

Embora não seja grande adepta de utilizar sopas, molhos e outros que tais já preparados, de vez em quando estas embalagens entram na minha cozinha. Foi o caso de hoje, pois mal vi esta receita que tirei daqui, sabia que ia ter de experimentá-la! E o resultado superou as minhas expectativas em 200%!!


Ingredientes:
postas de pescada
creme de marisco
natas (usei natas de soja light)

Preparação:
Passa-se as postas de pescada por sopa de marisco tal como vem no pacote, colocam-se num pirex para ir ao forno, já levemente untado com azeite. Espalha-se as natas por cima e está pronto para ir ao forno.

Como podem ver, bem simples de fazer e económica! As quantidades dependem do número de pessoas que vão comer.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Iogurte com cereais e linhaça

Sugestão para um lanche bem saudável a meio tarde, por exemplo, e que eu costumo levar para o escritório durante a semana. Geralmente, já levo os cereais com as sementes de linhaça num tupperware pequenino e na hora é só adicionar o iogurte que deixo no frigorífico que lá temos. Gostoso, saudável e económico ;)

Ingredientes:
1 iogurte a gosto
2 a 3 colheres (sopa) de cereais de fibra em tiras (tipo Fibre 1, da Nestlé)
1 colher (sobremesa) de sementes de linhaça

Também pode ser adicionada fruta a gosto.