domingo, 31 de janeiro de 2010

Sandwich de forno

Um dia de Domingo chuvoso e pouco convidativo a saídas foi quanto bastou para o jeitoso sugerir fazermos um lanche mais caprichado e deixarmo-nos ficar por casa a ver um filme. Não foi preciso procurar muito para encontrarmos a receita ideal para esta tarde!

Ingredientes:
fatias de pão de forma (usámos integral)
fatias de queijo (usámos Gouda com pimenta)
fatias de fiambre (usámos de peito de peru)
1/2 chávena de leite (usámos magro)
1 ovo inteiro
sal, pimenta preta, noz moscada, salsa e tomilho
manteiga (usámos margarina Becel)

Preparação:
Barra-se um recipiente de ir ao forno com manteiga.
Dispõe-se alternadamente as fatias de pão, o queijo e o fiambre e repete-se a operação até que terminem os ingredientes.
Barra-se a última fatia de pão com manteiga.
Mexe-se bem o leite, o ovo e os temperos. Derrama-se por cima do pão e carrega-se bem com uma colher para que o pão absorva bem o líquido.
Salpica-se com mais queijo e leva-se ao forno quente até dourar.
Servir quente.

Um lanche super fácil de preparar, bem simples e nada enjoativo. No final, lembrei-me que esta receita parece-me óptima para fazer um "lanche especial" para os mais miúdos pois tem pão, leite, ovo e carne.

sábado, 30 de janeiro de 2010

Pseudo-sobremesa

Pseudo porque, realmente, não é bem uma sobremesa. É mais uma ideia de como terminar um jantar, regado com um bom vinho tinto e prolongado com conversa ainda melhor, sem nos sentirmos a abarrotar com uma sobremesa pesada. Ou como desenrascar algo para terminar um jantar combinado à última da hora.
Embora não seja "doida" por chocolate, saborear os últimos copos de vinho acompanhando com chocolate negro tem um je ne sais quoi...


sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Salsichas vegetarianas picantes

Das raras vezes em que tenho um desejo de comer salsichas, basta pegar numa lata no supermercado e ler os ingredientes que o desejo passa-me logo! No entanto, não há razão para prescindirmos de todos aqueles petiscos que se podem fazer com salsichas. Com mais ou menos sabor a soja, existe no mercado uma variedade de marcas de salsichas vegetarianas bem gostosas e com as quais podemos surpreender ao apresentar um petisco mais saudável ;)


Ingredientes:
7 salsichas vegetarianas
6 colheres (sopa) de ketchup
1 colher (chá) rasa de mostarda
1/2 copo de vinho tinto
molho picante intenso da Savora q.b.
1 colher (chá) de margarina Becel

Preparação:
Passa-se as salsichas por água e escorre-se. Cortam-se em fatias grossas e deitam-se numa frigideira anti-aderente onde já se tem a margarina a derreter. Deixa-se fritar por uns minutos até que comecem a ficar douradinhas. Adiciona-se o ketchup, a mostarda, o molho picante e o vinho. Deixa-se apurar e está pronto a servir.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Patinhas de porco bêbedas

Um prato muito apreciado em casa dos meus pais (que eu passei a comer só "com os olhos") e que volta e meia vem à mesa. Desta vez foi usado "vinho seco" cá da região, mas quando é usado vinho tinto de acordo com a receita, as patinhas ficam bem mais escuras.




Ingredientes:
patinhas de porco
1 dente de alho esmagado
1 raminho de segurelha
2 tiras largas de pimentão verde
1 cebola pequena picada
1 folha de louro
sal qb
malagueta q.b.
1 litro de vinho tinto

Preparação:
Coloca-se todos os ingredientes numa panela de pressão a cozer durante cerca de 30 minutos. No caso de ser pouco vinho, pode-se acrescentar um pouco de água.
Acompanhar com batatas cozidas e legumes cozidos a gosto.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Tostas de atum light

Este é um snack que se faz num instante e que desenrasca uma refeição. E se me apetece uma tosta de atum do Village, faço uma destas mais light e o desejo desaparece! Também é uma maneira de comer tomate - algo que não me agrada muito mas que sei que é bem saudável.



Ingredientes: (p/ 2 tostas)
4 fatias de pão de forma integral
1 lata de atum em conserva ao natural (em água)
1/2 tomate
2 colheres (sopa) de maionese light
1/2 colher (chá) de mostarda de Dijon
1 colher (chá) de salsa picada

Preparação:
Depois de bem escorrido, coloca-se o atum numa taça e adiciona-se o tomate bem picado e a salsa. Mistura-se e envolve-se muito bem com a maionese e a mostarda, até formar algo parecido a um paté.
Barra-se duas fatias de pão com este creme e cobre-se com as outras  duas fatias. Coloca-se na tostadeira até o pão ficar bem tostadinho.
Acompanhar com uma salada.

Desenrasquei esta tosta com pão congelado (nem precisei de descongelá-lo; apenas tirei as fatias do congelador antes de começar a fazer a pasta de atum e quando barrei ainda estava um pouco congelado, mas ao tirar da tostadeira estava óptimo). Usei maionese com valor calórico reduzido e 0% colesterol (pois não leva ovo) da Diese e a mostarda de Dijon foi da Maille, só mesmo para lhe dar aquele toque especial.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Licor de pitanga

Confesso que não sou grande apreciadora de licores, mas sei como os licores caseiros são bem tradicionais por cá. Aliás, esta é a altura de ir fazendo os licores com as frutas da época que depois são provados por altura do Natal, quando já estão bem docinhos! Uma vez que a minha mãe não encontrou a receita de licor de pitanga que ela faz, guiei-me por uma receita do livro Aprender Cozinha Madeirense, lançado pela Secretaria Regional da Educação em 1988, e que deixo aqui ligeiramente melhorada com as dicas da minha mãe ;-)

Ingredientes:
1 l de álcool próprio para consumo
1 l de água
1 kg de açúcar
cerca de 250 gr de pitangas

Preparação:
Lava-se e escorre-se as pitangas. Quando estiverem secas, retira-se os caroços das pitangas fazendo um corte na lateral e empurrando com o dedo.
Deixa-se as pitangas inteiras em infusão no álcool durante uns dias. Segundo a minha mãe, quanto mais tempo ficar assim, melhor é; por isso vou deixar por um mês.
Ao fim desse tempo, faz-se uma calda, levando a água e o açúcar ao lume a ferver durante 10 minutos. Tira-se do lume e deixa-se arrefecer.
Depois mistura-se esta calda com o álcool, que esteve de infusão com as pitangas.
Deita-se em garrafas previamente esterilizadas e que fiquem bem fechadas durante cerca de 1 ano.
Por altura do Natal venho cá dizer-vos o resultado final e se ficou aprovado ;)

Quero ainda mencionar aqui que fazer licores caseiros pode tornar-se um tanto ou quanto dispendioso devido ao preço do álcool (que não pode ser aquele álcool que normalmente se encontra no supermercado). Este álcool, próprio para consumo, aqui só se encontra à venda nas farmácias e comprei 1 litro por 17,60€ - que deverá render cerca de 2 litros de licor.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Creme de lentilhas vermelhas

Já há muito tempo que tenho curiosidade em comer lentilhas mas tinha sempre algum receio de não gostar e acabar por deitar comida fora. Mas mal vi esta sopa da Elvira soube logo que tinha de fazê-la! O meu receio aqui deixou de ser as lentilhas e passou a ser o aipo... tem um sabor intenso que não me agrada nada mas decidi seguir a receita à risca para ver o resultado final: o creme é ótimo, bem aveludado, mas para a próxima tenho mesmo que descartar o aipo...


Ingredientes: (p/ 4-6 pessoas)
1 chávena de lentilhas vermelhas secas
1 cebola roxa cortada em pedaços
2 cenouras grandes cortadas em rodelas
1 talo de aipo cortado em pedaços
1 batata-doce média cortada em cubos
1 dente de alho grande fatiado
5 chávenas de caldo de legumes
2 colheres (chá) de pimentão-doce
sal e pimenta moída na altura
1 colher (sopa) bem cheia de cebolinho picado (não tinha)

Preparação:
Coloca-se as lentilhas, a cebola, a cenoura, o aipo, a batata-doce e o alho num tacho grande. Polvilha-se com o pimentão-doce.
Cobri-se com o caldo de legumes e leva-se a ferver. Deixa-se ferver por 10 minutos e baixa-se o lume. Cobrir e cozinhar em lume brando por mais 20 minutos.
Retira-se a sopa do lume e deixa-se amornar. Tritura-se a sopa com a varinha mágica até ficar num creme homogéneo. Volta-se a colocar a sopa ao lume e tempera-se com sal. Aquecer em lume brando, mexendo.
Distribui-se a sopa por pratos fundos ou tigelas. Polvilha-se com pimenta moída na altura e guarnece-se com o cebolinho picado.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Doce de pitanga

A pitanga é uma das minhas frutas preferidas! No Verão, adoro colhê-las bem maduras e comê-las ainda "quentinhas" do Sol... Agora que também estamos na época deste fruto (acho que dão umas 2 vezes ao ano), temos a árvore carregadinha e praticamente ninguém as come. Então resolvi colher algumas bem madurinhas para fazer um doce. Como nunca fiz doce na minha vida (e faz-me um bocado de confusão aqueles "pontos de açúcar" todos!), optei por esta receita que me pareceu bem simples.


Ingredientes:
1 chávena de pitangas descaroçadas
1 chávena de açúcar
1/2 chávena de água
1 dose de acquavit ou cachaça (não deitei porque não estava mencionado no modo de preparação)

Preparação:
Lava-se e escorre-se as pitangas. Quando estiverem secas, retira-se os caroços das pitangas fazendo um corte na lateral e empurrando com o dedo.
Ferve-se o açúcar com a água, mexendo sempre até obter uma calda grossa, mas transparente. Acrescenta-se as pitangas, que entretanto foram reduzidas a um puré grosso com a ajuda da varinha mágica, e envolve-se bem na calda. Ferve por aproximadamente 8 a 10 minutos para as frutas cozinharem.
O doce ficou delicioso, com aquele sabor bem acentuado das pitangas. No entanto ficou ligeiramente mais líquido do que aquilo que estava à espera. Não sei se foi porque não esperei que a calda ganhasse mais consistência. Por outro lado, a pitanga é um fruto muito suculento, e quanto mais maduro mais suco tem. Por isso, penso que para a próxima vou experimentar deitar um pouco menos de água do que a quantidade mencionada.
Rendeu duas tacinhas - e uma vai direitinha para casa do meu irmão para não ter estas tentações por perto!

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Muffins de farelo de trigo

Hoje fiz os meus primeiros muffins! E saudáveis :)
Encontrei esta receita extremamente fácil de fazer e não precisei de fazer alterações nenhumas. Realmente é como ela diz, estes muffins não são nada doces (daí o conselho, para quem gosta de coisas mais doces, de substituir a geleia de milho por mel) e então para dar uma ajudinha, barrei-os com a geleia de milho que sobrou.


Ingredientes:
1 chávena de farinha de trigo integral
1 colher (sobremesa) de fermento
1 ovo
1/2 chávena de geleia de milho
2 chávenas de farelo de trigo integral
2 chávenas de leite magro
flocos de aveia integral e/ou sementes de linhaça (facultativo)

Preparação:
Num recipiente coloca-se a farinha e o fermento. Junta-se o ovo previamente batido e a geleia de milho. Mexe-se com uma colher. Acrescenta-se o farelo de trigo e o leite. Torna-se a mexer com a colher até a mistura ficar bem homogénea.
Coloca-se a massa em forminhas de silicone (pois não é necessário untar e desenformam muito mais facilmente) e leva-se ao forno a 180ºC por cerca de 30 minutos.
Coloquei alguns flocos de aveia integral sobre uns muffins antes de levar ao forno, e polvilhei outros com sementes de linhaça.
Eles ficaram pequeninos porque tinha receio que a massa crescesse muito mas afinal não cresce assim tanto. Rende cerca de 12 muffins que podem-se barrar com alguma geleia de milho para finalizar.

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.

Informação nutricional:
As fibras são divididas em solúveis (presente em frutas, vegetais, aveia, soja) e insolúveis (presente em farelos, soja e vegetais folhosos).
De entre seus inúmeros benefícios listamos vários que são:
- Regulam a assimilação de gorduras e açúcares da nossa alimentação, absorvendo partículas de gordura e colesterol presentes no nosso sangue
- Nos dão uma sensação de saciedade por mais tempo, pois quando as ingerimos elas incham no nosso estômago
- Ajudam a formar o bolo fecal, evitando constipação e auxiliando na desintoxicação do organismo
- Melhoram o trânsito intestinal

(fonte: http://www.naturato.com.br/fibras1.htm)


ADENDA: a M. provou os muffins e sugeriu que deitasse uma pitada de canela em pó na massa. Ficou anotado e obrigada pela sugestão! ;)

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Dicas § fruta e legumes na época ideal

Encontrei este site da DECO através do blog da Quicas e achei por bem partilhar aqui pois é um bom guia sobre os prazos de conservação da fruta e legumes da época. Revela igualmente os nutrientes de cada um e dá ainda dicas sobre certos cuidados a ter ao comprá-los.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Salada de alface com feta e frutos secos

Depois destas semanas cinzentas de chuva, o Sol veio nos visitar e os dias esta semana aqui na ilha já parecem de Primavera :)
Tempo mais quente convida a saladas frescas e acho que esta é uma boa combinação para uma salada. O queijo confere um sabor agradável, enquanto as sultanas e as nozes dão uma textura diferente. As quantidades variam conforme o número de pessoas.


Ingredientes:
alface
tomate
pepino
queijo feta p/ saladas ou queijo fresco
1 colher (sopa) de sultanas
1 colher (sopa) de nozes picadas

Preparação:
Corta-se o tomate e o pepino aos quadradinhos. Numa taça, coloca-se a alface lavada, o tomate, o pepino e o queijo aos cubinhos. Polvilha-se com algumas sultanas e nozes picadas. Serve-se como entrada ou como acompanhamento, assim simples ou com um molho para salada.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Molho para salada

Este foi o molho para saladas que aprendi a fazer com as minhas housemates no ano em vivi em França. Normalmente, faziamos uma grande salada que ficava para o final da refeição.



Ingredientes:
azeite q.b.
vinagre balsâmico q.b.
1 dente de alho pequeno
1 colher (café) de herbes-de-Provence
sal fino q.b. (facultativo)
1 colher (café) de mostarda de Dijon

Preparação:
Pica-se o alho bem miudinho para dentro de um copo. Adiciona-se azeite e o vinagre balsâmico (as quantidades variam consoante a quantidade de salada), as ervas, o sal e a mostarda. Mexe-se bem e deita-se sobre a salada ou serve-se à parte.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Torresmos

Embora a matança do porco seja algo tradicional da altura do Natal cá na Madeira (antigamente criavam-se os porcos ao longo do ano, que eram mortos antes do Natal - uma das poucas alturas do ano em que se comia carne no seio das famílias mais pobres), esta só teve lugar ontem em casa dos meus tios, no Arco da Calheta. O meu pai foi lá (eu não sou muito dada a estes acontecimentos...) e trouxe para casa várias carnes das quais retirou um bom bocado de toucinho (só a pele com a gordura) e fez estes torresmos hoje. Já não como destes petiscos (ai os meus níveis de colesterol!!) e bem que tento dissuadir os meus pais de comê-los, mas deixo cá a receita que faz parte da nossa herança gastronómica.



Ingredientes:
toucinho
sal q.b.

Preparação:
Corta-se o toucinho em quadrados largos e deita-se num tacho. Leva-se a lume brando, dando uma mexida de vez em quando até que estejam bem fritos. Não há necessidade de adicionar qualquer tipo de gordura pois a banha do porco será libertada durante a cozedura.



Para quem é adepto de utilizar banha de porco para cozinhar, pode escorrer o líquido (banha) que fica no fundo do tacho, colocá-lo no frigorífico dentro de um recipiente fechado e usá-lo posteriormente para cozinhar.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Bacalhau com cogumelos

Não sei se já referi aqui que adoro bacalhau! Para mim, bacalhau fica bom de todas as maneiras e feitios. Deixo aqui a receita do almoço de hoje.

Ingredientes: (p/ 4 pessoas)
4 postas de bacalhau grosso e bem demolhado
azeite
1 copo de vinho branco
1 cálice de vinho do Porto
1 cebola grande
1 dente de alho
1 folha de louro
1 colher (chá) de pimentão-doce em pó
pimenta preta moída na altura q.b.
margarina Becel
1 lata de cogumelos laminados
1 copo de polpa de tomate

Preparação:
Unta-se um tabuleiro com azeite. Descasca-se a cebola, cortando-a às rodelas para dentro do tabuleiro. Dispõem-se as postas de bacalhau por cima da cebola e temperam-se com o alho esmagado, o louro, o pimentão-doce, a pimenta, o vinho branco e o vinho do Porto. Coloca-se umas nozes de margarina por cima e vai a forno bem quente durante 40 minutos.
Ao fim desse tempo, retira-se o tabuleiro do forno e reserva-se o bacalhau. Deita-se o molho que ficou do assado numa frigideira que  vai ao lume juntamente com os cogumelos e a polpa de tomate. Rectifica-se os temperos e deixa-se apurar. Volta-se as dispor as postas de bacalhau no tabuleiro, deita-se o molho de cogumelos por cima e vai ao forno por mais uns 5 minutos como se fosse para gratinar, só para dourar um pouco por cima. Polvilha-se com salsa picada e acompanha com batatas cozidas e salada de alface.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Creme de agrião

Hoje decidi dar um novo aspecto ao blog. Enquanto vejo qual vai ser o resultado final, partilho aqui mais uma sopa, desta vez uma sopa especial.
Embora tenha sido só mais na idade adulta que passei a gostar de sopa, havia uma que a minha mãe fazia de vez em quando e à qual não resistia - a de agrião! Na verdade era mais um creme, pois ela reduzia-a a puré para que eu a comesse (o que é que as mães não fazem por nós...) e eu reconhecia logo aquele cheiro inconfundível que vinha da cozinha. Agora ela já não a costuma fazer, sou mais eu que vou comprar agrião fresco quando bate um desejo daquela sopa da mãe.
E foi esta a sopa que fiz para esta semana, que continua chuvosa. Acho que sempre que a fizer vou me lembrar da minha mãe :)

Ingredientes:
abóbora amarela
3 cenouras
1 nabo
1 cebola
2 batatas
1 dente de alho
1 molho de agrião fresco (ou 1 embalagem de agrião fresco já lavado pronto a consumir)
1 colher (sopa) rasa de azeite (opcional)
1 l de água
sal q.b.

Preparação:
Corta-se os legumes aos pedacinhos e, depois de estar tudo cozido, reduz-se a puré com a ajuda da varinha mágica.
Pode-se reservar algum agrião para adicionar posteriormente. Neste caso, envolve-se o agrião no puré e vai a lume brando por mais uns 5 minutos.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Cheesecake light

Ora aqui fica uma sobremesa light para ajudar no desmame dos doces que andámos a comer nas últimas semanas. Tinha visto esta receita de cheesecake light ainda no ano passado mas só agora tive a oportunidade de a fazer. Embora com algum receio (volta e meia estrago tudo quando faço alterações numa receita) mudei um ingrediente aqui e outro acolá - e também já andava há algum tempo para experimentar usar estas bolachas cheias de fibra numa sobremesa.



Ingredientes:
3 iogurtes naturais
300 gr de queijo fresco magro
2 colheres (sopa) de manteiga de soja amolecida
70 gr de frutose
1 pacote (190 gr) de bolacha Proalimentar Bifidus & Fibra
5 folhas de gelatina
Algumas gotas de limão
compota light/diet a gosto q.b.

Preparação:
Comece por fazer a base, picando na picadora as bolachas e a manteiga. Coloque esta mistura no fundo de uma tarteira de fundo amovível. Reserve no frigorífico.
Faça o recheio, hidratando e derretendo as folhas de gelatina e misturando muito bem o queijo (usei 5 queijinhos do Pingo Doce), os iogurtes, as gotas de limão e a frutose. Junte tudo às folhas de gelatina já derretidas e mexa bem até que forme uma mistura homogénea (pode ser com uma varinha mágica).
Verta esta mistura para cima da base e leve ao frio por 6 horas.
Cubra com a compota (usei cerca de 3/4 de um frasco de doce dietético de alperce da Schneekoppe, adoçado com frutose e por isso menos calórico, que trouxe a preço reduzido da prateleira dos produtos que estão a chegar ao fim do prazo de validade).

Para quem não está habituado ao sabor dos produtos de fibra, o melhor será fazer a base com bolacha Maria, de modo a obter a base convencional e mais crocante. Se fizer o recheio usando os ingredientes mencionados acima, obterá na mesma um cheesecake mais light. Eu cá já sou suspeita: adorei o resultado final (tanto que acabei por comer a minha fatia e a do jeitoso, que não ficou nada fã destas minhas invenções!) pois já estava à espera daquele sabor intenso e característico das bolachas de fibra - além do mais, quantas vezes podemos nos deliciar com uma sobremesa que até nos faz bem? ;)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Massa integral à pescador

O objectivo do jantar de hoje foi o de acabar com algumas embalagens abertas e produtos semi-consumidos que tinha em casa: 1/2 pacote de natas, 1/2 cebola, o resto de um pacote de massa... e aproveitei para adicionar umas ervilhas congeladas com a "desculpa" de dar cor ao prato - a ver se como ervilhas!
Tinha em mente um prato que o meu pai faz com esparguete, atum fresco, camarões inteiros e... muita gordura. Fica muito saboroso mas faz-me confusão ver aquilo envolvido em tanta gordura! Então aqui fica a minha versão mais light, mais económica e igualmente saborosa.



Ingredientes: (p/ 2 pessoas)
200 gr de massa integral a gosto
1 lata de atum em conserva ao natural (em água)
1 punhado de camarões descascados
1/2 cebola
2 tiras de pimentão vermelho
1 latinha de cogumelhos laminados
1 chávena de ervilhas
1/2 pacote (100 ml) de natas para culinária light
2 colheres (sopa) de polpa de tomate
1/2 copo de vinho branco
1 pitada de colorau
sal q.b.
pimenta preta moída na altura q.b.
1 colher (chá) rasa de orégãos

Preparação:
Cubra o fundo dum tacho de fundo largo com água a ferver e junte a cebola picada. Deixe a cebola cozer um pouco, adicione o pimentão, as ervilhas e os camarões. Entretanto, vá cozendo a massa.
Deixe cozer mais um pouco e adione água quente se necessário. Junte os cogumelos, o atum, o vinho, o colorau, os orégãos e tempere de sal e pimenta. Deixe cozer mais uns minutos e adicione as natas e a polpa de tomate. Rectifique os temperos, deixe apurar e envolva a massa com este preparado.

Sugestão: adicione delícias-do-mar e/ou outro marisco a gosto.

sábado, 9 de janeiro de 2010

Dicas § café

Cá em casa usamos café solúvel. Confesso que adoro usar a máquina de café com balão para preparar o café do pequeno-almoço (espalha um aroma a café pela casa que levanta qualquer um da cama!) mas ao longo dos últimos anos já conseguimos partir 4 balões e ficámos com 4 máquinas de café inutilizáveis lá no armário... por isso voltámos ao café solúvel. Se são amantes do café como eu e também utilizam este tipo de café, experimentem, depois de aberto o frasco, guardá-lo bem fechado no frigorífico. Vão ver que conserva o aroma por mais tempo ;)

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Costeletas de porco com molho de cogumelos

Uma sessão de coloração de cabelo em casa serviu de pretexto para um jantar "girls only". Entre controlar o relógio e pôr a conversa em dia, lá deu para ir fazendo a janta. Algures entre a conversa e a garrafa de vinho, a hora de tirar a tinta do cabelo foi largamente ultrapassada mas o que vale é que não acordei meio careca! E apesar do homem do talho ter cortado umas costeletas mega-enormes, a verdade é que não sobrou nada para contar a história ;)



Ingredientes: (p/ 8 pessoas)
8 costeletas de porco
2 dentes d'alho
1 folha de louro
sal qb
pimenta preta moída na altura qb
sumo de limão qb
1 colher (sopa) de margarina Becel

Para o molho:
1 cebola picada
1 colher (sopa) de margarina
200 gr de cogumelos
1/2 copo de leite magro
1 colher (chá) rasa de farinha Maisena
125 gr de natas para culinária light
1 colher (sopa) de vinho Madeira
sal qb
pimenta preta moída na altura qb

Preparação:
Tempere as costeletas com sal e pimenta, o alho esmagado, o louro, o sumo de limão e deixe marinar durante algumas horas.
Se possível, grelhe as costeletas. Senão, aqueça uma frigideira e frite-as. Coloque as costeletas numa travessa e mantenha-as quentes.
Prepare o molho, refogando a cebola com a margarina, adicione os cogumelos laminados e deixe cozer em lume brando. Desfaça a farinha num pouco de leite e adicione ao preparado que está ao lume, juntamente com algum molho de fritar as costeletas. Tempere de sal e pimenta e junte as natas, mexendo sempre. Verta este preparado sobre as costeletas que reservou e está pronto a servir.
A receita original dizia para acompanhar com batatas fritas, mas como isso é algo raro de fazer, sugiro um arroz de cenoura e legumes verdes (desta vez foi arroz branco só mesmo porque não houve tempo para mais).

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Mousse de bolacha

Esta sobremesa foi feita quase em cima do joelho. Queria algo para terminar em beleza o jantar que ia fazer nesse mesmo dia e lembrei-me que tinha bolacha Maria em casa à espera que lhe desse uso. Depois de procurar um pouco, encontrei esta receita que pareceu-me o ideal.  Levei as tacinhas ao frigorífico apenas por umas 3-4 horas e resultou numa mousse leve e nada enjoativa que o meu jeitoso fartou-se de gabar! Uma boa sugestão para aqueles jantares marcados em cima da hora.



Ingredientes: (p/ 4 pessoas)
5 ovos
100 gr de frutose
2 colheres (sopa) rasas de margarina (usei Becel)
0,5 dl de leite (usei magro)
18 bolachas maria (usei da tostada)
amêndoa picada q.b. (facultativo)

Preparação:
Levar a lume brando as gemas mexidas com o açúcar, o leite e a manteiga, mexendo sempre até ficar tipo um cremezinho. Retirar do lume e deixar arrefecer.
Misturar então as bolachas previamente moídas e por fim juntar as claras em castelo.
Decorar a gosto (eu polvilhei com a amêndoa picada) e levar ao frigorífico. Servir bem fresco.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Porco com massa chinesa

Tinha esta receita guardada já há alguns anos e acabou por ficar esquecida no meio de um caderno. Encontrei-a recentemente e decidi experimentá-la. Ficou pronto em menos de meia hora  e o resultado foi óptimo. Um sabor diferente - experimentem!



Ingredientes: (p/ 4 pessoas)
500 gr de bifanas de porco
250 gr de juliana de couve lombarda com cenoura e alho francês
250 gr de massa chinesa com ovo (noodles)
4 rodelas de ananás de conserva
1 colher (sopa) de molho de soja

2 colheres (sobremesa) de caju torrado [não deitámos]
sal e pimenta q.b.
óleo

Preparação:
Corte a carne em tirinhas finas e leve a alourar numa frigideira com o óleo sobre lume esperto. Junte a juliana de legumes e deixe saltear mexendo sempre.
Entretanto, leve a cozer os noodles em água a ferver temperada com sal.
Junte o molho de soja (usei da marca Cem Porcento, da secção dos produtos naturais) à mistura de legumes com a carne e tempere com sal e pimenta.
Adicione o ananás cortado em pedacinhos e misture tudo com os noodles.
Sirva de imediato com os cajus torrados.

Já tinha comprado os noodles há algum tempo mas ainda não tinha experimentado esta receita porque não encontrava a juliana fresca. Por isso acabámos por substituí-la por uma mistura chinesa de vegetais congelados que encontrámos no Pingo Doce - e o resultado foi perfeito!
Para além de ter ficado muito gostosa, esta receita não foi nada dispendiosa.  Em vez de abrir uma lata de ananás em conserva, usámos ananás fresco que trouxémos do supermercado: meio ananás custou apenas 0,86€. O pacote de vegetais custou menos de 1€, as bifanas de porco menos de 2€. E a massa foi comprada em promoção: vale sempre a pena espreitar aquelas prateleiras dos artigos que estão a chegar ao fim do prazo de validade ;)

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Salmão gourmet

Esta é a receita de salmão do jeitoso. Ele aprendeu a fazê-la ainda em Londres e já a fizemos várias vezes e sai sempre bem. Na foto saiu algo "pálido" mas experimentem e verão que o salmão combina deliciosamente bem com este queijo! Desta vez resolvemos variar e usámos queijo fresco para barrar com ervas finas (também Philadelphia) por isso já não polvilhámos com os orégãos - e que bem que ficou! Deixamos aqui a receita original.



Ingredientes: (p/ 2 pessoas)
2 lombos de salmão
150 gr de queijo fresco p/ barrar Philadelphia light
sumo de 1/2 limão
sal
pimenta preta moída na altura
orégãos
6-8 batatas pequenas
herbes-de-provence
piripiri em pó
pimentão-doce em pó
azeite
bróculos

Preparação:
Comece por temperar o salmão com sal, pimenta e limão e deixe a marinar durante umas 2 horas no frigorífico.
Barre um pirex de ir ao forno com um pouco de azeite e disponha os lombos de salmão. Barre cada lombo generosamente com o queijo Philadelphia e polvilhe com os orégãos. Leve a assar em forno bem quente.
Entretanto, coza as batatinhas descascadas em água com sal., mas sem as deixar cozer demasiado. Coloque-as noutro tabuleiro, regue com um fio de azeite e polvilhe com um pouco de piri-piri, de herbes-de-provence e de pimentão-doce. Leve ao forno juntamemnte com o salmão. Vá revolvendo as batatas uma ou outra vez de modo a que ganhem cor e sabor uniformemente.
Aproveite para cozer os bróculos que já devem estar lavados e cortados.
Quando o peixe estiver cozido, coloque-o a gratinar por uns minutos, juntamente com as batatas.
Sirva o salmão com as batatinhas e os bróculos e acompanhe com um bom vinho branco.

Esta receita pode sair mais ou menos dispendiosa, dependendo do preço do peixe. Nós temos usado lombinhos de salmão congelados (que, ao contrário do que acontecia em Londres, aqui são normalmente minúsculos e saem caro) mas desta vez encontrámos dois generosos filetes de salmão fresco que não custaram mais do que uns 3 euros no total.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Creme de abóbora com espinafres

Muitas vezes faço sopa com os legumes que tenho em casa e aproveito para deitar lá para dentro legumes de que não gosto e que normalmemnte não como. Outras vezes, compro um ou outro legume para fazer uma sopa específica. Este creme foi feito com aquilo que havia em casa e, para variar um pouco, em vez de deitar batatas, usei batata-doce. Ficou um creme bem gostoso!



Ingredientes:
1 cenoura grande
1 nabo pequeno
1 pimpinela (chuchu) pequena
1 cebola pequena
1 dente de alho
abóbora amarela (3 a 4 vezes o peso da cenoura)
2 batatas-doces pequenas
1 couve-coração pequena
espinafres
sal q.b.
azeite (facultativo)
1 l de água

Preparação:
Picar todos os ingredientes, à excepção dos espinafres, e adicionar à água a ferver. Temperar de sal (e um fio de azeite, se assim o desejar) e deixar cozer. Quando estiver bem cozido, reduza a puré com a ajuda da varinha mágica e adicione espinafres a gosto. Deixe cozer mais um pouco em lume brando.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Iscas de fígado à minha maneira

Tenho a confessar que esta é um das minhas combinações preferidas à mesa: fígado, puré de batata e bróculos! Em casa dos meus pais, sempre se comeu petiscos que ferem alguns estômagos mais susceptíveis: fígado, pipis, patinhas de porco, orelhinha de porco, tripas, etc; muitos dos quais fui deixando de comer ao optar pela reeducação alimentar, evitando mais as carnes vermelhas e gorduras. Mas de vez em quando, bate um desejo e lá faço um prato destes, embora já não o faça como os meus pais (fritando a carne em óleo e margarina) mas sim de uma maneira que me parece bem mais saudável.



Ingredientes: (p/ 2 pessoas)
250 gr de fígado de vaca
1 cebola média
1 copo de vinho branco (ou 3/4 de vinho tinto e 1/4 de vinagre de vinho)
1 dente de alho
1 folha de louro
sal
piripiri em pó
caril
polpa de tomate q.b.

Preparação:
Corte o fígado em tirinhas pequenas. Tempere-o com o alho esmagado, a folha de louro picada grosseiramente, sal, piripiri e caril a gosto. Regue com o vinho e deixe assim por uma meia hora.
Deite água a ferver numa frigideira alta e adicione a carne escorrida. Deixe o fígado cozer em lume alto, adicionando mais água caso seja necessário. Quando estiver quase cozido, retire (com alguma paciência) os pedaços de alho e de louro e adicione a cebola cortada às rodelas finas, misture com a carne e deixe cozer. Por esta altura, a maior parte da água já deve ter evaporado. Adicione um pouco de polpa de tomate ao molho que ficou da marinada, envolva bem e junte à carne.  Rectifique os temperos e está pronto a servir.

Desta vez, estava cheia de pressa e acabei por não adicionar a cebola. Acompanhei com puré de batata que comprei já preparado (daquele que vem congelado aos pedacinhos; adiciono sempre apenas um pouco de leite e de noz moscada raspada na altura) e com bróculos cozidos.


Informação nutricional:
Como podem ver pela tabela abaixo o fígado é muito rico em vitaminas essenciais ao nosso organismo. Tenha em atenção que as referências, a nível calórico e de colesterol, são para o fígado frito.


Fígado em bife frito
Quantidade
100 gramas
Água (%)
56
Calorias
217,65
Proteína (g)
27,06
Gordura (g)
8,24
Ácido Graxo Saturado (g)
2,94
Ácido Graxo Monoinsaturado (g)
4,24
Ácido Graxo Poliinsaturado (g)
1,53
Colesterol (mg)
482,35
Carboidrato (g)
8,24
Cálcio (mg)
10,59
Fósforo (mg)
461,18
Ferro (mg)
6,24
Potássio (mg)
363,53
Sódio (mg)
105,88
Vitamina A (UI)
36105,88
Vitamina A (Retinol Equivalente)
10729,41
Tiamina (mg)
0,21
Riboflavina (mg)
4,14
Niacina (mg)
14,47
Ácido Ascórbico (mg)
27,05


[Fonte: http://emedix.uol.com.br/dia/ali004_1f_figado.php]

sábado, 2 de janeiro de 2010

Bavaroise de Ananás

Este ano, o almoço do 1º dia do ano foi em casa do  meu irmão. Desta vez houve comida típica do Natal na Venezuela (as famosas Hallacas: bolinhos feitos à base de farinha de milho, recheados com carnes e embrulhados em folha de bananeira) graças às origens da minha cunhada.
Ainda no rescaldo do Natal, e como nestes primeiros dias do ano continuam a haver muitos convívios de família e amigos em torno da mesa, trago aqui mais uma das sobremesas feitas para o almoço do dia 25 e cuja receita fiz praticamente igual a esta daqui. Neste dia, o prato principal foi uma carne assada que ficou à responsabilidade do meu pai e eu fiquei encarregue das sobremesas - que foram aprovadas por miúdos e graudos :)



Ingredientes:
1 lata de ananás
1 pacote de gelatina de ananás
1 lata de leite condensado light
5 ovos

Preparação:
Leve ao lume o molho da lata de ananás para dissolver a gelatina em pó, mexendo sempre lentamente. Retire do lume este preparado e junte o leite condensado, as gemas e o ananás cortado finamente (reserve 1 fatia para decoração, se for o caso), mexendo devagar para envolver. Bata bem as claras em castelo e adicione-as ao preparado anterior, de forma a ficar com aspecto homogéneo. Decore a gosto e leve a bavaroise ao frigorífico numa taça de vidro transparente.