quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Canja de galinha da Madeira

Esta é a canja de galinha que se come na Madeira (que deslavado que me parece aquele caldo de água e frango que se come por esse País fora) e que este ano veio à mesa para o jantar da 1ª oitava. Algo mais leve só para aconchegar o estômago - mas acompanhada por um bom vinho alentejano ;)
Aliás, e a título de curiosidade, sabiam que por cá, ainda até meados do séc. XX, nos casamentos servia-se sempre canja de galinha?
Aqui fica então a sugestão também para o Réveillon - infelizmente, a canja desapareceu antes que tivesse oportunidade de tirar uma foto!

Ingredientes:
1 cebola média inteira
1 tomate inteiro
1 cenoura cortada aos quadradinhos
1 nabo cortado em quatro
1 pau de canela pequeno
massinhas a gosto ou arroz q.b.
1 galinha do campo e/ou miudezas (moelas, pescoço, coração, patas e fígado)

Preparação:
Deitar a cebola inteira, o tomate (inteiro e com pele), a cenoura, o nabo e a canela num tacho, juntamente com a galinha sem pele, e cobrir com água. Tenha o cuidado de retirar o tomate passado algum tempo enquanto ele ainda está inteiro, não o deixando se desfazer na canja. Quando a galinha estiver cozida, retire-a e adicione a massa (usámos aquelas em forma de estrelinhas) ou o arroz. Limpe a carne de ossos e desfie-a, adicionando no final.

Agora na passagem d'ano, a carne da canja desfiada também é usada para fazer sandes em pão de forma barrado com manteiga. Corta-se as sandes em triângulos e dispõe-se num tabuleiro, servindo juntamente com a canja.

~~ Feliz Ano Novo ~~

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Ervilhas estufadas

Uma sugestão para acompanhar um prato de forno agora nos dias de Inverno. Até eu que não gosto de ervilhas confesso que me parece "quase" delicioso! Por isso mesmo resolvi fazer como acompanhamento e quem provou também aprovou ;)

Ingredientes:
1 kg de ervilhas congeladas
1 cebola grande picada
100 gr de presunto
30 gr de manteiga
sal qb
pimenta moída na altura qb
1 ramo de salsa

Preparação:
Aloure a cebola na manteiga sobre o lume brando e junte o presunto cortado em pequenos cubos e o ramo de salsa. Deixe cozinhar alguns minutos e vá mexendo. Adicione as ervilhas e deixe cozinhar mais 5 minutos, agitando o tacho. Acrescente água a ferver até cobrir as ervilhas e tempere de sal e pimenta (lembre-se que o presunto já é salgado). Deixe cozer, destapado, em lume brando. Sirva como acompanhamento de peixe ou carne assada.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Pudim de claras

Ainda nas sobremesas deste Natal, fiz mais este pudim só mesmo para usar as claras que sobraram desta bavaroise e confesso que não estava à espera que ficasse tão bom! É uma receita a repetir, sem dúvida.




Ingredientes:
6 claras
1 pitada de sal
6 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de raspas de limão

Para a calda:
1 chávena de açúcar
1 chávena de água

Preparação:
Leve o açúcar para derreter sem mexer, dê apenas leves chacoalhadas na panela. Adicione a água de uma só vez e espere os pedaços de açúcar derreterem, a calda não deve ser nem muito rala, nem muito grossa. Caramele um forma com buraco no meio.
Bata as claras em neve, adicione a pitada de sal e uma colher de açúcar de cada vez, termine com as raspas de limão. Despeje o suspiro em colheradas na forma caramelada e asse em banho-maria por cerca de 30-40 minutos. O suspiro cresce bastante, mas depois acaba por abater. Desenforme enquanto morno.

Tirei esta receita daqui e só fiz um bocadinho de batota porque usei caramelo líquido já pronto (Royal) ao invés de estar a fazer a calda.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Sopa de bacalhau e pimentos

Já tenho esta receita para partilhar aqui há alguns dias e hoje saiu cá para fora. Uma sopa destas bem condimentada vai ajudar a aquecer a barriguinha nestes dias de chuva.



Ingredientes:
3 a 4 postas de bacalhau demolhado
1 dente d'alho
2 cebolas médias
1 pimento verde
1 pimento vermelho
1 fatia de abóbora amarela
2 colheres (sopa) de azeite
1 cubo de caldo de peixe
1 colher (sopa) polpa de tomate
sal q.b.
piripiri q.b.

Preparação:
Pique as cebolas e o alho e leve ao lume com o azeite. Quando a cebola ficar transparente, junte o bacalhau e um pouco de água a ferver. Depois do bacalhau cozido, retire-o, limpe de peles e espinhas, divida em lascas e reserve.
Adicione mais água a ferver ao refogado e junte a abóbora cortada em cubos; deixe cozer e rale. Deite os pimentos picados e um pouco de polpa de tomate e cozinhe em lume brando até apurar. Antes de servir, junte-lhe o bacalhau e rectifique o sal.
Acompanhe com um bom vinho e broa ou um outro pão rústico.


Fonte: revista Segredos de Cozinha, nº 108

domingo, 27 de dezembro de 2009

Muesli de aveia à Estalagem do Vale

Bem, e agora algo (mais saudável) para fugir um pouco às comidas do Natal - não sei vocês, mas o meu estômago já não está habituado a comer tanto de tanta coisa... ainda bem que só é Natal uma vez por ano!
Então, no passado fim-de-semana, quando chegámos à Estalagem do Vale, já ia com água na boca a pensar no muesli de aveia que ia comer ao pequeno-almoço da manhã seguinte. Tanto gabei o muesli que uma das empregadas (que ambos achámos extremamente simpática e profissional, tal como os demais funcionários da estalagem) revelou-me a receita. E esta que fiz em casa ficou quase tão boa como a de lá!


Ingredientes: (p/ 2-3 pessoas)
1 chávena de aveia integral
3 chávenas de água
1 punhado de nozes picadas
passas q.b.
1/2 maçã
1 rodela de ananás
2-3 chávenas de leite magro
100 ml (1/2 pacote) de natas light
3 colheres (chá) de frutose
canela em pó q.b.

Preparação:
Deixar a aveia de molho na água durante a noite (entre 8 a 12 horas) no frigorífico.
Escorrer a água que tenha sobrado. Entretanto, na taça de servir, misturar o leite com as natas e adicionar canela a gosto. Juntar a aveia e começar a picar as frutas frescas lá para dentro, bem como as nozes e adicionar as passas. No fim, adicionar açúcar a gosto.

Reparem que a aveia deve ficar sempre de molho (em água, nunca em leite) de modo a facilitar a digestão. Apesar de nunca deitar passas (detesto passas no meu muesli!!) coloquei este ingrediente na receita pois sei que vai bem aqui. Quanto às frutas frescas, eu usei as que tinha em casa na altura mas estas podem ser adicionadas a gosto: maçã, pêra, banana, ananás, laranja, e pêssego em calda até.

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.

Informação nutricional:
A Aveia Integral é um cereal muito nutritivo, que possui cálcio, ferro e proteínas, além de vitaminas, carboidratos e fibras. A aveia está em evidência atualmente pelo alto poder benéfico da sua fibra solúvel, que está relacionada a um bom funcionamento do sistema digestivo, regulando o trânsito intestinal e evitando a obstipação (intestino preso), além de, segundo alguns estudos, estar associada ao controle da glicemia (açúcar no sangue), manutenção e diminuição do colesterol sangüíneo e controle da pressão arterial. 100 gr de aveia crua em flocos contém:

Água (%): 9,1
Calorias (Kcal): 394
Proteína (g): 13,9
Carboidrato (g): 66,6
Fibra Alimentar (g): 9,1
Colesterol (mg): n/a
Lipídios (g): 0,3
Ácido Graxo Polinsaturado (g): 0,1
Ácido Graxo Saturado (g): 0,1
Ácido Graxo Mono insaturado (g): 0,1
Cálcio (mg): 48
Fósforo (mg): 153
Ferro (mg): 4,4
Potássio (mg): 336
Sódio (mg): 5
Tiamina (mg): 0,53
Riboflavina (mg): 0,03
Niacina (mg): 4,47


(Fonte: http://www.informacaonutricional.net/)

sábado, 26 de dezembro de 2009

Carne em vinha d'alhos

Tradicional no Natal madeirense, a célebre carne de porco em vinha d'alhos veio este ano à mesa na 1ª oitava. Para sobremesa foi feita uma boa salada com algumas frutas da época e um toque de  vinho Madeira e especiarias para quebrar o enjoo do excesso de doces dos últimos dois dias.



Ingredientes:
1 kg de carne de porco da pá ou entrecosto (com alguma gordura)
1 cabeça de alhos
vinho tinto e vinagre de vinho q.b.
2 folhas de louro
1 colher (sopa) de sal
2 pimentas
1 ramo de segurelha
batatas
cenoura
pimpinela

Preparação:
Cortar a carne em cubos e colocar num recipiente (tradicionalmente de barro). Adicionar os alhos esmagados, o louro e as pimentas picados grosseiramente, o sal, a segurelha e cobrir com o vinho (usámos vinho seco, feito em casa dos meus tios no Arco da Calheta) e o vinagre em partes iguais.
Cobrir o recipiente e deixar nesta marinada entre 2 a 3 dias, dando uma mexida uma vez por dia.



Cozer a carne no próprio molho durante uns 5 minutos, retirar a carne com uma escumadeira e reservar. Deixar o molho que fica no tacho arrefecer um pouco e, com uma colher larga retirar a banha que se cria por cima do molho (esta banha pode ser guardada no frigorífico para cozinhar, se assim o desejar).
Verta o restante molho para outro tacho no qual poderá cozer as batatas que irão acompanhar a carne.
Volte a colocar a carne no mesmo tacho e deixe a cozer (sem adicionar água nem goduras) durante mais uns 15 minutos ou até a carne ficar ligeiramente tostada e cozida.
Sirva a carne acompanhada com as batatas que cozeu no molho da carne, cenoura e pimpinela cozida (que também podem ser cozidas juntamente com as batatas.
A carne que sobrar pode ser deitada em recipientes próprios e guardada no congelador para outra refeição ou para um petisco pois o sabor mantém-se inalterável.

Continuação de Boas Festas!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Pequeno-almoço de Natal


~~ Feliz Natal a todos ~~

Desde criança que manda a tradição que haja cacau quente ao pequeno-almoço no dia de Natal. Aliás, acho que é um (delicioso) costume generalizado aqui na ilha.

Cacau quente:
1 l de leite (usamos magro)
3 colheres (sopa) rasas de cacau em pó magro

Preparação:
Mexer bem o cacau no leite com uma colher de pau até desfazer completamente. Quando ferver, apagar o lume e voltar a mexer. Deixer repousar uns minutos e servir com açúcar a gosto.


Já há uns anos atrás descobri esta receita de um pão de mel e frutos (que na verdade é um bolo) e achei óptimo para a época natalícia. Desde então, passei a fazê-lo para acompanhar o pequeno-almoço de Natal.

Pão de mel e frutos:
1 chávena (chá) de manteiga
1 chávena (chá) de açúcar
6 colheres (sopa) de mel
4 ovos
3 iogurtes naturais
1,5 chávena (chá) de farinha de trigo
1 colher (sobremesa) de fermento
miolo de noz grosseiramente ralado q.b.
sultanas q.b.
pinhões q.b.

Preparação:
Bata em creme a manteiga amolecida com o açúcar. Junte o iogurte e os ovos inteiros. Bata bem e junte o mel.
Misture a farinha com o fermento e adicione à massa. Passe os frutos secos por farinha, sacuda o excesso de farinha e junte-os também à massa.
Leve ao forno numa forma de bolo inglês, untada e forrada com papel vegetal, entre 45 minutos a 1 hora; primeiro a 250ºC e depois a 200ºC.
Neste bolo substitui a manteiga por margarina Becel e usei mel de flores em vez de mel de abelhas. Este é mais um bolo que, por ser húmido, conserva-se bem por alguns dias, mesmo depois de ter sido partido.


E com mais umas coisinhas disto e umas coisinhas daquilo temos a nossa mesa para começar o dia de Natal :)

Nota: Post programado

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Bavaroise com frutas cristalizadas

Acho esta bavaroise uma excelente sugestão para a época natalícia devido às cores das frutas cristalizadas!


Ingredientes:
5 gemas
5 colheres (sopa) de açúcar
7 dl de natas frescas
2 folhas de gelatina branca
70 gr de cerejas cristalizadas
70 gr de cidrão

Preparação:
Bata as gemas como açúcar até ficarem cremosas e esbranquiçadas e acrescente às natas previamente batidas.
À parte, demolhe a gelatina em água fria, esprema-a e dissolva-a num pouco de água quente. Incorpore ao preparado anterior e, por último, envolva com cuidado as frutas cristalizadas cortadas em pedacinhos miúdos.
Disponha este preparado numa forma redonda untada com óleo e leve ao frigorífico até solidificar.
Para desenformar, mergulhe a forma em água quente durante breves momentos. Sirva decorado a gosto.

Nesta receita, usei natas para bater light e susbtituí as frutas da receita original por 150gr de Fruta Sortida Picada Cristalizada que encontrei no Pingo Doce. Também o usei o dobro da quantidade de folhas de gelatina indicadas acima. Como levei ao fridorífico dentro da forma de silicone, na hora de desenformar foi só fazer alguma pressão na base da forma - nada mais fácil.


quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Bolo Barreto Preto

Esta é uma receita de bolo preto do séc. XIX tirada do livro Segredos de Cozinha - Madeira e Porto Santo (de Zita Cardoso) e que eu costumo fazer para o Natal já há uns 12 anos. É um livro que recomendo pois não só reune muitas receitas antigas e tradicionais do arquipélago da Madeira, como também apresenta óptimas sugestões de sobremesas feitas à base dos frutos típicos da nossa terra, tais como a anona, a pêra-abacate, o tabaibo, a papaia, o tomate-inglês, a pitanga, o maracujá ou a goiaba.
No caso deste bolo, destaca-se o mel da cana-de-açúcar, com o qual se fazem muitas das doçarias que não podem faltar nas casas madeirenses na época do Natal. E que bom é sentir a casa inundada pelo cheiro quente a mel e especiarias!



Ingredientes:
250 gr de banha ou margarina
1 chávena (1/4 l) de mel de cana-de-açúcar
1 chávena e meia de açúcar
1/2 chávena de café frio
1/2 chávena de leite
2 chávenas de farinha de trigo
3 ovos inteiros
1 colher (chá) de soda
Canela, noz moscada, passa e cidra a gosto

Preparação:
Bater as gorduras com o açúcar e o mel.
Juntar o café e o leite.
Deitar a farinha, a soda e as frutas.
Coze em forma untada de manteiga.

Desta vez, e por tratar-se de um bolo tradicional, tentei não adulterar muito a receita original pelo que apenas tratei de substituir a gordura tradicional por margarina Becel e também não resisti a usar farinha integral. E embora tenha usado o açúcar branco, tenho a certeza que o açúcar mascavado iria muito bem com os outros ingredientes.
Não se esqueçam de passar as frutos secos previamente por farinha, que depois peneiramos - deste modo evitamos que estes se acumulem todos no fundo da forma durante a cozedura. O bolo esteve a cozer durante uns 40 minutos a 200ºC, sendo que nos últimos 10 minutos baixei a temperatura do forno para 180ºC/150ºC.
Quanto à apresentação final, ainda pensei em polvilhá-lo com açúcar em pó desenhando algumas estrelas, mas por tratar-se de um bolo tradicional madeirense, fiz questão de deixá-lo assim.

Uma das vantagens deste bolo é que, por levar mel, ele conserva-se fresco por vários dias, mesmo depois de partido (nunca apresentando aspecto nem textura seca) - o que é ideal nesta época em que a qualquer momento podemos ter visitas inesperadas.

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Arroz integral de frango

Hoje cheguei a casa sem saber muito bem o que ia jantar. Queria algo mais saudável para compensar o organismo dos abusos do fim-de-semana. Lembrei-me que tinha no congelador um peito de frango que tinha sobrado dum churrasco e meti-o no microondas a descongelar. Entretanto, fui buscar arroz integral e fui inventando um prato que acabou assim:




Ingredientes: (p/ 2 pessoas)
1 chávena de arroz integral
3 chávenas de água
1 peito de frango já cozido
1 colher (chá) de azeite
1/2 cubo de caldo de legumes
espinafres q.b.
1 colher (sopa) de polpa de tomate

Preparação:
Refogue um pouco o arroz no azeite juntamente com o cubo de legumes. Adicione a água a ferver e deixe cozer durante cerca de 30 minutos. Por esta altura, adicione o frango desfiado, as folhas de espinafres,  a polpa de tomate e deixe acabar de cozer.

A minha ideia inicial era fazer um arroz no forno, mas confesso que provei o arroz quando este acabou de cozer e estava tão bom que hesitei quanto a levá-lo ao forno. Mas como já tinha untado o pirex com um pouco de azeite, lá acabei por deitar lá o arroz e levá-lo um pouco a alourar. Mas realmente não há necessidade. Da ideia inicial também fazia parte dispor tomate cortado aos cubos por cima do arroz antes de o levar ao forno e talvez polvilhar com um pouco de queijo ralado, mas como não tinha tomate em casa teve que ficar para uma próxima vez.

O facto de não ter mencionado sal não foi por esquecimento mas sim porque o cubo de caldo de legumes já contém sal suficiente para temperar o arroz. Quanto aos espinafres, também não coloquei uma quantidade específica pois varia conforme o gosto de cada um - eu sou meio suspeita pois adoro espinafres, como já devem ter percebido!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Dicas § pão

Uma maneira de ter sempre pão fresco em casa é congelá-lo ainda fresco.
Eu costumo comprar, por exemplo, pão integral em forma fatiado e coloco-o directamente no congelador dentro da própria embalagem. Ainda há cerca de 2 meses, acordei num Domingo com vontade de fazer um pic-nic. Como não tinha muita coisa em casa e não queria perder muito tempo para aproveitar bem aquele solzinho gostoso de Outono, tirei umas fatias de pão do congelador e espalhei-as em cima de um pano de cozinha. Passados uns 10-15 minutos, o pão já estava descongelado e fiz uma sandes bem fofinhas para levarmos connosco ;)

domingo, 13 de dezembro de 2009

Salmão com camarão

Esta é uma das receitas do Pingo Doce e experimentei-a pela primeira vez já há mais de 10 anos. Todos gostámos cá em casa e passou logo para a lista das minhas receitas favoritas! Hoje resolvi ser amiga do ambiente e, em vez de usar a folha de alumínio e levar o peixe ao forno, coloquei as postas de salmão numa boa caçarola com tampa de pirex, de modo a cozer um pouco no próprio vapor, e dispus os restantes ingredientes conforme as indicações - ficou igualmente delicioso!

Ingredientes: (p/ 6 pessoas)
6 postas de salmão
400 gr de camarões selvagens (40/60)
2 limões
1 alho francês
2 cebolas
6 colheres (chá) de margarina Becel
funcho fresco
sal qb
pimenta prenta moída na altura qb

Preparação:
Tempere o salmão com sal e pimenta e regue com o sumo dos limões.
Passe os camarões por água, descasque-os e tire-lhes as cabeças. Junte os camarões já descascados à marinada do salmão e deixe assim cerca de 2 horas, virando o peixe pelo menos uma vez durante este tempo.
Entretanto, corte o alho francês em rodelas,  pele o tomate e corte-o em bocadinhos, descasque e pique as cebolas.
Corte 6 quadrados de folhas de alumínio e sobre cada uma coloque uma posta de salmão. Distribua os legumes sobre o peixe e finalmente os camarões. Coloque por cima uma colherzinha de margarina, umas folhinhas de funcho fresco e feche os papelotes. Leve ao forno quente durante cerca de 30 minutos. Acompanhe com puré de batata.


Informação nutricional:
Apesar de ser um peixe gordo, o salmão deve fazer parte  da nossa alimentação pois destaca-se por ter alto teor de ómega 3, gordura saudável e benéfica especialmente para o sistema cardio-vascular.

Item
Quantidade
Necessidade Diária
Calorias
261,95
10%
Triptofano
0,33g
103%
Vitamina D
411 UI
102%
Ácidos Graxos Ômega-3
2,09g
87,1%
Selenio
53,07mcg
75,8%
Proteína
29,14g
58%
Vitamina B3
11,34 mg
56%
Vitamina B12
3,25mcg
54%
Fosfóros
420 mg
42%
Magnésio
138,35 mg
34%
Vitamina B6
0,52mg
26%

(Fonte: http://pt.wikipedia.org)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Biscoitos de banana e aveia

Já andava há uns meses para fazer estes biscoitos que vi aqui. Hoje decidi finalmente experimentar esta receita com muito poucas alterações e que resultou numas bolachinhas húmidas deliciosas!


Ingredientes:
1 ovo
1 colher (sopa) de margarina (usei Becel)
2 colheres (sopa) de frutose
3 colheres (sopa) de açúcar mascavado claro
2 bananas pequenas bem maduras
1 colher (sopa rasa) de canela em pó
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
1 colher (chá) de essência de baunilha
1 chávena (chá) de flocos de aveia integrais
2 colheres( sopa) de farinha de aveia

Preparação:
Ligue o forno para aquecê-lo. Enquanto isso, amasse as bananas numa tigela e adicione todos os ingredientes restantes.
Misture bem e vá colocando massa às colheradas (cerca de 1/2 colher de sobremesa) numa assadeira de bordas baixa untada com margarina. Leve ao forno quente por 15-20 minutos.
Quando retirar, deixe-os arrefecer ao ar livre e não guarde logo.

Só quando estava aqui a escrever a receita é que me apercebi que esqueci de adicionar a margarina à massa - e para dizer a verdade, não acho que faça falta.
Se tiverem dificuldades em encontrar algum dos ingredientes, o açúcar mascavado claro que usei foi da Whitworths e a frutose da Salutem.

A bateria da minha máquina fotográfica achou por bem de acabar agora, mas coloco aqui uma foto assim que estiver carregada :)

Nota: usei uma chávena com capacidade para cerca de 250 ml.


Adenda: bem, quase que não sobravam biscoitos para a foto pois as minhas sobrinhas estiveram a comê-los! É agradável ver crianças a comer algo saudável com tanto gosto.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Bifes de peru recheados com delícias

Esta é uma receita que já não faço há muito tempo, mas que me parece uma combinação agradável de carne branca com um fruto do mar. E verão que o facto de temperarem os bifinhos com limão faz com que o resultado final seja muito fresco.


Ingredientes: (p/ 4 pessoas)
4 bifes de peru, bem finos e com cerca de 125 gr cada
4 fatias finas de fiambre magro
4 delícias-do-mar
60 gr de margarina Becel
1 cebola picada
1 colher (sopa) de polpa de tomate
1 pacote (200 ml) de natas light
1 cálice de vinho do Porto
sal qb
pimenta preta moída na altura qb
sumo de limão qb

Preparação:
Espalme os bifinhos de peru e tempere-os com sal, pimenta e um pouco de sumo de limão. Estenda-os e, sobre cada um, disponha uma fatia de fiambre e depois uma delícia do mar. Enrole-os e ate-os nas pontas ou segure-os com palitos.
Leve-os ao lume a fritar na margarina quente, sem a deixar queimar, e retire-os para um prato.
Noutro tacgo, junte a cebola picada a um pouco de margarina quente e deixe-a refogar até querer alourar. Adicione em seguida o tomate, as natas e o vinho e deixe ferver. Junte de novo os bifinhos e deixe apurar.
Retire os fios/palitos aos bifinhos e sirva-os com o molho e um acompanhamento a gosto, por exemplo, arroz branco e salada.

Quando comprarem a carne, verifiquem que estão a trazer bifes bem fininhos e, ao fritar, tenham a certeza de que deixam tempo suficiente para que a carne  coza por dentro - por isto mesmo é que devem fritar os rolinhos em lume brando, de modo que a carne fique bem cozinha sem queimar a margarina.
Como geralmente não como fiambre, desta vez enrolei os bifinhos só com as delícias. As natas usadas foram natas de soja light (Alpro soya). E já que me apetecia um prato colorido, acompanhei com massa italiana tipo campanelle (Arlecchino) que deve os diferentes tons aos seguintes ingredientes: espinafre, tomate, tinta de choco e curcuma.


Fonte: revista Teleculinária nº 935

domingo, 6 de dezembro de 2009

Bolo com chá de erva-doce

Pois é, tenho andado meio desaparecida por falta de disponibilidade mas cheia de saudade de cozinhar. E hoje apetecia-me fazer um bolo; não um qualquer mas um bolo que me lembrasse a estação fria, um bolo "quente" com gosto a especiarias! Lembrei-me que tenho erva-doce em sementes cá em casa para fazer chá e achei deliciosa a ideia de fazer um bolo com o sabor da erva-doce. Encontrei esta receita aqui e fiz umas algumas adaptações que resultou num bolo pequeno, não muito doce e com um gostinho diferente que provei ainda morninho agora ao lanche - acho que combina bem com um chá.


Ingredientes:
3 dl de água
100/150 gr de açúcar mascavado claro (da Whitworths)
250 gr de farinha de trigo integral com fermento
2 colher (chá) de erva-doce
1 colher (sobremesa) rasa de canela em pó
2 colheres (chá) noz moscada em pó
2 colheres (sopa) + 1 colher (sobremesa) mel de abelhas
4 ovos
farinha e margarina q.b.

Preparação:
Faça o chá e reserve. À parte junte o açúcar com a farinha e as especiarias. Junte os ovos, bata a massa e adicione as 2 colheres (sopa) de mel; envolva-a bem. Por fim adicione metade do chá de erva-doce (reserve o chá restante). Ligue o forno a 200º C. Unte uma forma com manteiga e polvilhe-a com farinha; verta a massa e leve-a ao forno durante 40 minutos (eu optei por uma forma com buraco).
Depois do bolo ter arrefecido, desenforme, pique por cima com um garfo ou palito e regue com o chá que reservou. Barre a parte superior com o restante mel.

Era para ter deitado também um pouco de cravinho moído mas esqueci-me durante a preparação da massa. Também podem optar por utilizar mel de flores (como tinha um restinho de mel de abelhas num frasquinho, decidi acabar este). Quanto ao açúcar, o melhor é deitar as 100 gr e ver se querem a massa mais doce ou não. Já o chá com que se rega o bolo, poderão querer adoçá-lo um pouco - eu adicionei um comprimido de sacarina. Ah, e não sei se repararam mas a massa do bolo não leva manteiga nem óleo :)